sábado, 11 de julho de 2009

Vazio, ócio, ausências e começar tudo de novo

Tudo pelo curso natural da vida...
Hoje me senti muito mal...Coloquei pra fora o nada dos meus últimos dias...
Só restou o vazio estático do meu ego...Há muito tempo não respiro com prazer...
Tudo o que acho bonito passa pelos meus olhos...Invisivelmente...
Quero ter o prazer de viver dias com cheiro de balas de iogurte...
De passear por entre os bosques de tulipas...De viajar pelos céus de diamante...
Quero o transcendental que sempre fez parte do plano visceral do meu coração...
Há muito tempo não reconheço em mim...Àquela mulher, menina, na verdade...Que sempre tinha um sorriso bobo e no olhar uma flecha sempre atenta ao melhor dos outros e do mundo...Por onde anda a menina Natália?
Por onde se encontra os olhos tão vivos que até matam...?
Por onde anda esse coração do alto da montanha?

Não sei responder a nada disso...Mas de uma coisa estou certa...
Farei de tudo para me reconquistar...Não me sinto perdida...Apenas sem aquela alegria de viver que fazia de mim tão especial...AMAZING GRACE FOREVER!

Por momentos de glória e de grandes esperanças!
=*

Um comentário:

Ben-Hur Bernard, B. Bernard, Ben-Hur Bernard Pereira Costa (oficial), Biú (para as minhas crianças), Ben (para os amigos), BHB (para Aline Lemos) disse...

Típico!

Isso é bem típico de alguém que está em um momento de transição. Geralmente é uma fase. Geralmente para quem tem alma de artista (ou pelo menos gosto pela arte) essa fase transitória é viciante, pois ela parece mais segura que os momentos em que percebemos que nossas vidas são instáveis. Quando estamos "instáveis", percebemos que pouca coisa pode ser perdida e, por isso, arriscamos mais. É quando a gente não se reconhece... É quando percebo que nada faz sentido e que poucas coisas, que valem a pena, existem.

Devo confessar que há muito tempo estou nessa fase de transição. Não sei se me viciei nela, mas ainda estou aqui.

Bom texto, belas palavras!